16 de setembro de 2008

Relato

Vou contar uma coisa muito estranha que aconteceu comigo de madrugada.
Estava eu, no meu confortável sofá-cama novo, lendo entrevista com o vampiro antes de dormir, quando simplesmente parei de respirar... Não sei o motivo, puxava o ar com toda a minha força mas ele não vinha, sufocava lentamente pensando em todas as coisas que não fiz, pensando principalmente no meu namorado, que tantas vezes me falou nos momentos de raiva, quando consigo ser a pessoa mais insensível do mundo, que no dia que ele morrer não adianta ir lá ver ele, que devemos dar valor, amor, carinho pras pessoas enquanto elas estão vivas, aqui pra sentir esse amor. E pensando nisso, nos segundo que tive certeza que morreria, percebi que fui tão feliz com ele, que a única coisa que eu queria era poder dar um beijo de despedida e um abraço forte antes de partir. Foi algo tão intenso que quando o ar voltou o sono foi definitivamente expurgado do meu corpo, dando lugar a um sentimento estranho de culpa por tudo que andei fazendo de errado pra quem não merecia senão todo meu amor e dedicação, e aquela sensação de segunda chance, que te deixa ao mesmo tempo feliz e compenetrada na missão de ser uma pessoa diferente.
O que causou esse estranho fato não sei, nunca tive asma, nunca tinha acontecido.
Serviu pra me mostrar que o controle das coisas não está nas minhas indefinidas e pretensiosas mãozinhas, e que o valor das coisas realmente nos é mostrado quando temos a sensação de que nunca mais vamos te-las.
Bem hoje passei o dia todo tramando mimos pra ele, pensando em como vou fazer pra aproveitar todo o tempo que tiver com a pessoa que é, sem duvida, a mais importante.

Um comentário:

Janaaa! disse...

Sorte que, algumas vezes, temos a chance de perceber o quanto nos vale determinada coisa ou pessoa, antes de colocarmos tudo a perder.

Beijoca.