20 de novembro de 2008

Sobre querer

Queria tanto ter o poder de te fazer ver o quanto eu quero você aqui.
Essa impotência me cansa, a espera e as tentativas todas me deixam tão cansada...
Eu não tenho tanto tempo assim, nem essa tua capacidade quase fria de não demonstrar o que sente.
Sempre foi assim, o indiferente.
E eu sempre fui a honesta, a corajosa, a analítica...
Sempre coube a você o fácil papel de garoto afetado quebrador de corações
E sempre coube a mim ser a que entende, a que enfrenta as paredes ásperas do teu ego sofrido, do teu medo e da tua incerteza.
Eu daria tudo só pra ter uma chance de entender completamente o que se passa na tua cabeça.
Mas ando tão cansada sabe, de correr em círculos, de pintar de branco tuas paredes em ruínas tentando invariavelmente sem sucesso fazer parecer aceitável teu ser incompleto.
Tenho que parar com essa mania de fazer os outros felizes.
Preciso parar de amar. Você.

3 comentários:

Jana disse...

Stê.
Sabe que já senti exatamente esta mesma sensação, quando ainda estava com meu primeiro namorado?
Uma sensação angustiante de querer ajudar sem que o outro queira receber ajuda.
De querer entender, sem que o outro pretenda ser entendido.
Sempre assim: querendo coisas que o outro não queria.
Doeu um tempo, sofri outro tanto, até o dia em que entendi que, já que nossos objetivos eram absolutamente contrários, era melhor cada um seguir o seu caminho.

Sei lá.
A verdade é que o amor no qual somente uma das partes quer, lá pelas tantas vira nojo, ou piedade.
Acaba.

Um beijo querida
:)

Ana Gabi disse...

Vixi, Ste...
Vou te dizer uma coisa: só se vive uma vez. Pode até ser clichê, mas é a mais pura verdade.
O tempo passa e você um dia pode perceber que perdeu tempo insistindo na mesma tecla.

"Sempre coube a você o fácil papel de garoto afetado quebrador de corações
E sempre coube a mim ser a que entende, a que enfrenta as paredes ásperas do teu ego sofrido, do teu medo e da tua incerteza."

Olha, não precisa ser sempre assim não, mas saiba que a mudança começa em você. É isso que você tem que saber: não há como mudar o outro, mas há meios de mudar a você.

Eu já namorei um tempão e cheguei a ficar noiva, te digo de coração que não me arrependo do que vivi ao lado dele, apenas agradeço a Deus por ter mostrado que não deveria casar. Mas lamento por não ter descoberto isso antes. Insisti o quanto pode, mas uma hora vi que não dava mais.
Foi como você disse no início do post: a gente cansa, né?

No meu orkut, naquela parte "com os relacionamentos anteriores aprendi" cito algumas coisas, é a seguinte: mas acho que a que serve para você é esta aqui: *só vale a pena lutar por aquilo que me faz bem.

Pensa nisso e saiba que você tem valor, pq antes eu ficava com medo de terminar e não achar um cara legal... A idéia da solteirice me apavorava. E hoje eu posso te dizer que estou num relacionamento sadio, que me deixa muito feliz.

Citando Clarice Lispector:
"Olha pra mim e me ama.
Não: tu olhas pra ti e te amas. É o que está certo."

Beijocas amore!
E desculpe pelo testamento, hehe!

;)

eliane disse...

Stê, os dois comentários acima são depoimentos que devem ser lidos com atenção.
Eu não poderia dar um depoimento meu, porque no tempo em que eu namorava (tempo do êpa, pra você - ahahaha) as coisas eram do mesmo jeito que são hoje, porém já nem me lembro mais, graças a deus.
Mas acrescento uma coisa ao que já foi dito aí em cima: pensa um pouco, Stê, e veja se tu não está namorando uma pessoa que não existe.
Não entendeu?
Explico:
As gurias têm a mania de idealizar um tipo, e acabam por "vestir" esse personagem no namorado.
E outra coisa: onde está escrito que a mulher TEM QUE ser aquela que entende, sensível às coisas, etc, enquanto o namorado é apenas um homem?
Receita para não sofrer: seja você mesma, com virtudes e defeitos, e só fique com alguém que te entenda como você é.
Te digo uma coisa, meu bem: no momento em que você começa a abrir concessões ao namorado porque, afinal, ele não sabe resolver seus problemas sem que você o ajude e entenda...hummmm, vai sobrar pra você!!!
Desculpa essa tia louca, com esses conselhos que até podem te fazer sofrer mais, porque quando a gente pensa que está amando, tudo dói.
Mas acredito que já é hora de olhar as coisas como elas são, e não como você gostaria que elas fossem.
O AMOR NÃO FAZ SOFRER, STÊ.
Perdão mais uma vez.
Paro por aqui.
grande beijo